segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

o meu casal de dedos...

Estou sem net... Por isso escrevo pelo telemovel e n descobri ainda como colocar acentos :/
Escrevo porque nao queria acabar o ano sem falar no meu casal de dedos... O tiago e a carla ;)
Ele acompanha-me desde a escola primária, ela pouco tempo depois! Crescemos juntos. Vivi, e vivo, a união deles. Admiro a garra que tem profissionalmente, bem como a seriedade com que encaram a vida! Sempre foram, para mim, a parte mais consciente, e muito util, do nosso grupo.
Gosto muito deles, embora seja com eles que falo menos... Mas por falta de oportunidade, penso assim!

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Natal...


Chove. É dia de Natal.
Lá para o Norte é melhor:
Há a neve que faz mal,
E o frio que ainda é pior.

E toda a gente é contente
Porque é dia de o ficar.
Chove no Natal presente.
Antes isso que nevar.

Pois apesar de ser esse
O Natal da convenção,
Quando o corpo me arrefece
Tenho o frio e Natal não.

Deixo sentir a quem quadra
E o Natal a quem o fez,
Pois se escrevo ainda outra quadra
Fico gelado dos pés.

Fernando Pessoa

domingo, 20 de dezembro de 2009

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Um simples até já...

Esta noite o meu coração batia diferente... acordei sobressaltada... pressentia que algo de menos bom estava a acontecer. Olhei para o telemóvel, uma chamada da minha mãe, achei esquisito mas resolvi não dar importância aos meus pensamentos... a noite continuou atribulada... acordava, voltava a adormecer.... doía-me a cabeça!
Ao despertar da manhã... a notícia que o meu corpo já me avisava... o meu avô, aquele das brincadeiras de criança, disse-nos um adeus inesperado!
Como a vida nos prega tão facilmente estas partidas... ainda ontem o meu avô andava à volta das suas videiras, brincava com os seus bisnetos... e bastou o cair da noite, para que o coração o tramasse.
Estou triste! Não nego a emoção.
Guardo óptimas recordações dele, da sua meiguice, do seu jeito especial para lidar com os mais pequenos.
Obrigada por teres existido na minha vida.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

O Lhex e a Trix (os dedos maiores)....




... o titulo fala por si... e por momentos emocionei-me... como mudei...

Estes são os meus dedos maiores.... não podiam existir um sem o outro!
São os dedos que me tiram mais vezes do sério, aqueles que me fazem rir, chorar, resmungar, acarinhar, cantar, beijar.... ser feliz!
Gosto de os ter sempre comigo. Foram, aliás, a minha maior descoberta.
Já aprendi com eles imensas coisas e, uma delas,  a mais importante: saber amar!

O Zi.... o meu dedo gémeo...


este foi o dedo que mais me custou a aceitar... e é aquele do qual, agora, mais me custa separar!
somos iguazinhos... as mesmas teimosias, a mesma adolescência, os mesmos interesses, a mesma rebeldia e "timidez"!
é um cromo que gosto de chatear... passo a vida a lembrar-me das suas diabruras quando era pequenote! sabe-me bem a sua existência ;)
...e só tenho a agradecer aos meus pais, depois de tanto os chatear!

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

O Lenon chegou...

e eu começo a perceber o que é tratar de gémeos ;)


sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

TAC e o Dia da Mulher...

O TAC (teatro amador courense) continua em alta... e desta vez já pronto a preparar uma apresentação/representação para o dia da mulher, a celebrar a 8 de Março!!!
Se tiver alguma sugestão, pode deixá-la aqui, uma vez que estamos a reunir diferentes trabalhos sobre o tema, que nos possam servir de base ;)

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Minha Culpa...

Sei lá! Sei lá! Eu sei lá bem
Quem sou? Um fogo-fátuo, uma miragem...
Sou um reflexo... um canto de paisagem
Ou apenas cenário! Um vaivém

Como a sorte: hoje aqui, depois além!
Sei lá quem sou? Sei lá! Sou a roupagem
De um doido que partiu numa romagem
E nunca mais voltou! Eu sei lá quem!...

Sou um verme que um dia quis ser astro...
Uma estátua truncada de alabastro..
Uma chaga sangrenta do Senhor...

Sei lá quem sou?! Sei lá! Cumprindo os fados,
Num mundo de maldades e pecados,
Sou mais um mau, sou mais um pecador...

                          Florbela Espanca

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Fá...a minha nota musical preferida ;)

Pois é, de entre todas, fá é a minha nota musical preferida... é harmoniosa, irreverente, alegre, dinâmica e boa ouvinte!
Ops! Parece que acabei por falar da minha fá, e não da nota fá.
Pois é, a Fá é outro dos meus dedos! um dedo mais novo, mas não menos forte.
Com a sua sinceridade e frontalidade aprendi uma coisa: deixa transparecer os teus sentimentos, não te faças de forte, deixa de lado a frieza emocional e sentimental.
Hoje recordo-me sempre das nossas viagens cansativas, mas alegres e comunicativas. A Fá tem o dom de comunicar!
Cresceu comigo, mas só hoje eu percebo o quanto somos unidas!
Gostava que ela estivesse cá ao meu lado, mas est´´a no meu coração ;)


A minha paixão pelo futsal feminino...

Lembro-me de ter aí uns cinco anos e correr com o meu pai a buscar as "moças" que iam jogar futebol. Nessa altura percebi também que, afinal, o futebol não era só para os "moços". Fiquei fascinada. Mais fascinada fiquei ao perceber que alas jogavam a sério... bem, para uma criança, já era muita informação nova. 
Este fascínio acompanhou desde então. 
Não deixei de ver os jogos das "moças", sempre atrás do meu pai. Quando passaram uns anos, fui também eu jogar (podia não ter grande táctica, mas nutria um grande espírito e garra pela equipa) nos jogos do concelho, contra as habituais equipas de rubiães, bico, cristelo e vila. Nessa altura até ganhamos o campeonato ;)
Depois o futsal feminino foi crescendo, para minha grande alegria, e Castanheira forma uma equipa (com diferentes jogadoras do concelho e, hoje, de fora do concelho), competindo com as demais da associação de Viana. 
No início não dei grande importância a este feito... mas um dia, ao olhar para a azáfama e correria do meu pai, lá me decidi a ir ver um jogo. E, de repente, senti-me com cinco anos, com um nervosismo miudinho, à espera que a MINHA equipa ganhasse.
Desde então, a minha presença procura ser constante. 
Vim de Lisboa para ver o final da taça, no ano passado (delirei, embora com alguma limitações físicas)... grito sempre que entro num pavilhão... digo asneiras... mas gosto de sentir que sou um daqueles adeptos que elas tanto precisam, porque a bancada também faz parte do corpo de uma equipa!
Sempre que poder lá estarei ;)



Este sábado jogo no nosso pavilhão, às 19 horas. 


Castanheira vs Riba D´âncora

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

A Minha Metade...

Hoje acordei nostálgica. A pensar no passado, nas minhas mudanças, nas mudanças de todos nós.
Acredito que foi a conversa de ontem com a Sofia que me deixou assim. E que engraçado é perceber que, passados anos, as nossas conversas persistem ao tempo e às mudanças.
A Sofia é outro dos dedos da minha mão... um dedo antigo, mestre, posso até dizer. Cresci com ele e nunca mostrou sinais de fraqueza ou doença.
Aprendemos juntas uma série de coisas boas, e ultrapassamos as más. Hoje sentimo-nos na mesma umas adolescentes mas, no entanto, as nossas conversas são "de gente adulta".... parece-me que vai ser sempre assim (e ainda bem).
Gosto de partilhar as minhas coisas com ela, nunca tive receios de o fazer... não há bloqueios, há amizade ;)
Nunca mais me vou esquecer do momento em que decidi partir para outros horizontes e da forma como o partilhei com a Sofia, aliás, tinha de ser com ela.... e a forma como as duas quisemos negar o sofrimento!!!
Temos uma caminhada exemplar ;)












- Eu sou responsável pela minha rosa... 





terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Pelo Bruno...

A vida é fascinante. O que é preciso é vê-la com os óculos certos. (Alexandre Dumas)


E neste ponto o Bruno é, para mim, um exemplo!
Cada vez que me queixo de algo de menos bom que se esteja a passar comigo, lembro-me da garra do Bruno... não o conhecia muito bem, começo agora a conhecê-lo uma vez que é o nosso "câmara men" do TAC, e arrepio-me de cada vez que penso e observo a sua coragem, o seu à vontade com a "diferença". 
E arrepio-me também ao perceber a generosidade da gente da nossa terra, com as inúmeras campanhas de amizade (vou chamar-lhes assim) que tem levado a cabo. 
Aqui fica mais uma.... e quando se queixaram por pormenores supérfluos, pensem na garra do Bruno!!!!